Saúde da Mulher

Quais exames são solicitados para investigar a infertilidade FEMININA?

Junho é o mês da infertilidade, condição que atinge um em cada seis adultos no mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. No entanto, diferentemente do que muitos imaginam, as causas são igualmente proporcionais para homens e mulheres: 35% para cada, de acordo com a Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida. Para a mulher, a infertilidade pode estar relacionada a: ➤ Causas ovarianas e ovulares;⠀ ➤ Causas tubárias e do canal endocervical;⠀

Como o cigarro pode atrapalhar a fertilidade?

Além de trazer uma série de doenças crônicas e alguns tipos de câncer, o tabagismo também pode dificultar a chance de uma gestação pela via natural e através de um tratamento de reprodução assistida. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), do Ministério da Saúde, mulheres fumantes concentram nicotina no fluído folicular do ovário, o que reduz a taxa de fertilidade de 75% para 57%. Essas mulheres têm 30% mais chances de serem inférteis, de acordo com o INCA. Além disso, o

Reprodução assistida permite que pessoas com HIV tenham filhos sem o vírus

As técnicas de reprodução assistida permitem que casais soropositivos, concordantes ou discordantes, planejem uma gestação saudável. Antes das tentativas, é fundamental seguir o tratamento medicamentoso à risca com o objetivo de tornar a carga viral indetectável para que não haja risco de contaminar o bebê. A técnica mais indicada é a inseminação intrauterina, mas a fertilização in vitro (FIV) pode ser recomendada quando a qualidade seminal não for adequada. Homem soropositivo: é preciso ter carga viral negativada e avaliar a qualidade do sêmen. Mulher

Teste de compatibilidade genética. Para que serve?

O exame é indicado principalmente para casais com histórico familiar de doenças genéticas ou que sejam parentes consanguíneos – por exemplo, no caso de primos. Com o teste, é possível identificar se o casal possui alterações em seu DNA que, quando combinadas, podem aumentar o risco de o bebê nascer com doenças genéticas recessivas, como anemia falciforme, distrofia muscular, fibrose cística, retinose pigmentar, entre outras. Segundo o laboratório Igenomix, a maioria das pessoas são portadoras de certas mutações genéticas e, embora sejam

Óvulos de uma mulher, aglomerados, na cor rosa

Reserva ovariana: 91% das brasileiras nunca realizaram a avaliação.

A Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRA) divulgou um estudo realizado por uma empresa farmacêutica brasileira sobre a avaliação da reserva ovariana. 𝐒𝐞𝐠𝐮𝐧𝐝𝐨 𝐚 𝐩𝐞𝐬𝐪𝐮𝐢𝐬𝐚, 𝟗𝟏% 𝐝𝐚𝐬 𝐦𝐮𝐥𝐡𝐞𝐫𝐞𝐬 𝐞𝐦 𝐢𝐝𝐚𝐝𝐞 𝐟é𝐫𝐭𝐢𝐥 𝐧𝐨 𝐁𝐫𝐚𝐬𝐢𝐥 𝐚𝐟𝐢𝐫𝐦𝐚𝐫𝐚𝐦 𝐧𝐮𝐧𝐜𝐚 𝐭𝐞𝐫 𝐫𝐞𝐚𝐥𝐢𝐳𝐚𝐝𝐨 𝐨 𝐞𝐱𝐚𝐦𝐞 𝐞 𝟒𝟓% 𝐝𝐞𝐬𝐜𝐨𝐧𝐡𝐞𝐜𝐢𝐚𝐦 𝐨 𝐭𝐞𝐬𝐭𝐞. Através da avaliação da reserva ovariana, é possível verificar a funcionalidade dos ovários, a quantidade de folículos e a capacidade reprodutiva feminina. Apesar da atividade ovariana entrar em declínio com o avançar da idade, recomenda-se que mulheres jovens

Doenças crônicas e infertilidade

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, as doenças crônicas são marcadas pelo lento desenvolvimento e longa duração, sendo que, em muitos casos, podem acompanhar as pessoas a vida toda! Algumas delas podem causar infertilidade, enquanto outras somente afetam a capacidade reprodutiva, geralmente ligadas ao estilo de vida e hábitos não saudáveis. ▶ Doenças crônicas que causam infertilidade: Nas mulheres: endometriose, SOP (síndrome dos ovários policísticos), mioma uterino e doença inflamatória pélvica. Nos homens: varicocele e azoospermia. ▶ Doenças crônicas que afetam a fertilidade:

Até quando é possível adiar a gestação?

Em entrevista à revista Veja, a humorista e apresentadora Dani Calabresa, aos 41 anos, revelou que possui planos de engravidar e, por isso, congelou óvulos para “usá-los mais para frente”. Mas, até quando é possível adiar a gestação? Uma vez que as chances de gravidez diminuem com a idade, com drástica redução após os 35 anos, a recomendação é que o procedimento seja realizado nesse período para uso futuro em ciclos de Fertilização in Vitro (FIV). De acordo com a Sociedade Brasileira

Mulher com as duas mão na barriga, com síndrome dos ovários policísticos.

A infertilidade atinge de 30% a 50% das mulheres com endometriose

De acordo com dados do Ministério da Saúde, a endometriose atinge cerca de 8 milhões de brasileiras e, dessas, 10% estão em idade reprodutiva e de 30% a 50% apresentam infertilidade. Muitas mulheres só descobrem a condição quando tentam engravidar e não conseguem. Isso porque, geralmente, o diagnóstico da endometriose é tardio e acontece quando já há o acometimento das trompas, órgão que conduz o óvulo ao útero, dificultando assim, a gestação. Portanto, quem planeja engravidar

O que é teste genético pré-implantacional (PGT)?

O teste genético pré-implantacional (PGT) é uma das técnicas empregadas no tratamento de Fertilização In Vitro (FIV) que permite identificar a existência de doenças ou alterações genéticas no embrião antes de ser inserido no útero. Através de uma biópsia, é realizada a análise das células do embrião no estágio de blastocisto, quando estamos no 5º ao 7º dia de desenvolvimento embrionário. Com isso, é possível diminuir índices de perdas gestacionais e complicações no processo. No entanto, o teste não é realizado em

É possível engravidar sem as trompas?

A resposta é: depende! As trompas de Falópio, também chamadas de tubas uterinas, são responsáveis pelo transporte dos óvulos do ovário para a cavidade uterina, onde ocorre a fecundação. Quando uma delas ou ambas apresentam malformações ou são retiradas em cirurgia, devido a presença de endometriose, obstrução ou uma gravidez ectópica, as chances de engravidar naturalmente podem ser comprometidas. No entanto, se o ovário produzir óvulos saudáveis e a trompa não estiver obstruída, a mulher consegue, sim, engravidar. A fecundação pode ser possível tanto

×