Quais os tratamentos para infertilidade masculina?

Uma mão estendida, uma seringa e dnas humanos usados nos tratamentos para infertilidade

Para determinar os tratamentos para infertilidade masculina, é preciso investigar a causa da infertilidade. A partir daí aumentam as chances de reverter o quadro e realizar o sonho da paternidade. Com o diagnóstico correto em mãos, o médico irá indicar o melhor tratamento.

Azoospermia e obtenção cirúrgica de espermatozoides

Quando o exame de espermograma detecta azoospermia, isso significa que há ausência de espermatozoides. Entretanto, o diagnóstico também pode indicar uma disfunção na produção ou passagem dos espermatozoides. Algumas vezes, apesar de existir produção de espermatozoides, a passagem deles é afetada por algum motivo. Outras vezes, a produção é realmente atingida, tornando-se pouca, de baixa qualidade ou nenhuma, no caso de esterilidade.

Se houver ausência total de espermatozoides, é necessário recorrer a um banco de doadores para realizar o sonho da paternidade. Já quem tem uma produção baixa, mas com sêmen saudável, pode ser um indicador de passagem está obstruída. Nesse caso, os espermatozoides não conseguem encontrar o óvulo para fecundá-lo. Então há a necessidade de retirada do espermatozoide cirurgicamente, direto do testículo do paciente. Esse tratamento para infertilidade pode ser feito por punção (com sedação ou, em alguns tipos, anestesia local) ou incisão com biópsia (com anestesia local e sedação).

Depois, para o processo de reprodução humana, é usada a técnica ICSI (Intra Citoplasmatic SpermInject ou Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoides). Com ela, as taxas de gravidez são de até 35 a 55%, dependendo da qualidade dos espermatozoides retirados, entre outros fatores.

Ejaculação retrógrada

Problemas de infertilidade podem ser causados por uma disfunção como a ejaculação retrógrada. Nela, a emissão do sêmen é direcionada para dentro da bexiga, inviabilizando o encontro do espermatozoide e óvulo. Nesse caso, o tratamento para a infertilidade consiste em recolher amostras de espermatozoides presentes na urina, após prévio preparo do paciente.

Em seguida, essa amostra é lavada para retirar as impurezas. O procedimento preserva a integridade dos espermatozoides e, muitas vezes, melhora as condições fisiólogas e biológicas. Se a qualidade do sêmen for boa, os espermatozoides podem ser utilizados em técnicas de reprodução assistida, como a Fertilização In Vitro e a Inseminação Artificial.

Reversão de vasectomia

Mão com luva manipulando tubos de ensaio em laboratório em tratamentos para infertilidade.
Após a reversão de vasectomia, o casal deve conceber naturalmente em até seis meses de tentativa. Caso contrário, será preciso realizar novos exames para detectar possíveis problemas.

Caso o paciente tenha feito uma vasectomia, procedimento cirúrgico para não ter mais filhos, e mude de ideia, é indicada a cirurgia de reversão, na qual é feita a re-anastomose dos canais deferentes. Trata-se de uma microcirurgia com anestesia local ou sedação, com duração média de 2 horas, sem exigência de internação. Depois do procedimento, o paciente deverá ficar em repouso na clínica por uma hora para observação.

Um mês após a reversão de vasectomia, caso tudo tenha ocorrido de maneira apropriada, o homem poderá engravidar a mulher. No entanto, vale lembrar que, após a reversão, o casal deve conceber naturalmente em até seis meses de tentativa. Caso contrário, será preciso realizar novos exames para detectar possíveis problemas no casal e analisar os possíveis tratamentos para infertilidade.

Veja mais: Principais causas da infertilidade masculina