Inseminação Intrauterina: 11 dúvidas mais comuns

Espermatozoides para ser usados na inseminação artificial

Antes de optar por algum procedimento, como a Inseminação Intrauterina/ Inseminação Artificial, é importante saber que, até completar 35 anos de idade, cerca de 15 a 20% dos casais podem sofrer de infertilidade. Por isso, só após um ano de tentativas, se a gravidez não ocorrer, deve-se procurar um especialista em reprodução humana.

Muitos tentantes – casais que desejam engravidar e têm dificuldades de conseguir o positivo – chegam aos consultórios médicos com várias dúvidas em relação aos procedimentos da Inseminação Artificial. Confira, a seguir, as mais comuns:

1. Para quem é indicada a Inseminação Artificial?

O primeiro passo, no caso da mulher, é marcar uma consulta com um ginecologista. No caso do homem, com um urologista. Dessa maneira, os profissionais vão solicitar exames específicos para identificar as possíveis causas da dificuldade de engravidar.

Normalmente, o procedimento é indicado para a mulher que não tem alteração anatômica ou apresenta leves distúrbios ovulatórios. Ou, em alguns casos, apresenta o que chamamos de muco hostil ao espermatozoide.

No caso do homem, quando a concentração (número de espermatozoides) tem alguma alteração leve. Mas é importante lembrar que o homem precisa ter uma quantidade mínima de espermatozoides no sêmen. Já a mulher deve ter ao menos uma tuba uterina sem alteração, para o espermatozoide conseguir chegar até o óvulo.

2. Como é feita a Inseminação Intrauterina?

O procedimento pode ser realizado a partir de uma leve estimulação ovariana ou em ciclos naturais, sem a utilização de medicamentos. Após a coleta do sêmen, a técnica consiste em preparar os espermatozoides, separando os melhores para serem colocados, através de um cateter, no interior do útero. A inseminação deve ser feita no período exato de ovulação da mulher. Feito isso, os espermatozoides precisam “nadar” até encontrarem o óvulo para fecundá-lo.

3. Qual é a duração de todo o tratamento?

A mulher começa a usar a medicação no início do ciclo menstrual. Esse processo é feito em cerca de 15 dias. Como a inseminação só é realizada após a liberação dos óvulos, ou seja, no período fértil, o tempo entre o início do tratamento e a confirmação ou não da gravidez dura em torno de 30 dias.

4. A Inseminação Intrauterina é realizada em hospital?

Como é um procedimento mais simples, pode ser realizado na clínica, sem anestesia, ou no próprio consultório médico. Ela não causa dor e dura poucos minutos, sendo que a mulher pode voltar às suas atividades cotidianas em seguida. Ou, dependendo do médico, após 24 horas do procedimento.

5. Quantos dias após a Inseminação Intrauterina é possível descobrir a gravidez?

Entre 10 a 12 dias após o procedimento já é possível realizar o teste de gravidez.

6. A Inseminação Intrauterina pode ser feita com espermatozoides doados?

Sim. Nos casos em que o parceiro da mulher não produz espermatozoides ou no caso de casais homoafetivos.

7. Existe alguma preparação para a Inseminação Intrauterina?

Óvulo sendo fecundado por vários espermatozoides na inseminação intrauterina..
Para a mulher é necessário estar saudável e com os exames e as vacinas em dia. Para o homem, é preciso que fique em abstinência sexual de dois a cinco dias antes da coleta do sêmen.

Sim. A mulher precisar estar saudável, com os exames e as vacinas em dia. Também é proibido fumar ou ingerir bebidas alcoólicas. Além disso, deve-se estar com peso correto e seguindo as recomendações médicas, como a suplementação com ácido fólico.

Para o homem, é preciso que fique em abstinência sexual de dois a cinco dias antes da coleta do sêmen, evite estresse excessivo, calor na região genital e consumo de álcool e o fumo.

8. Qual é a taxa de sucesso da Inseminação Intrauterina?

De 15% a 20%, por ciclo. Mas vale lembrar que, quanto mais idade a mulher tiver, menores são as chances de gravidez. Após os 35 anos, por exemplo, as chances de sucesso, com a Inseminação Artificial, tendem ser menores.

9. Quantas Inseminações Artificiais podem ser feitas?

Normalmente, três tentativas, em ciclos consecutivos. Se a gravidez não se confirmar, o ideal é que o médico analise outras opções, como a Fertilização in Vitro (FIV).

10. O que é preciso fazer após a Inseminação Intrauterina?

A paciente deve ficar deitada, em repouso na clínica, por aproximadamente meia hora. Esse cuidado facilita a chegada do sêmen no interior das tubas.

11. Qual é o valor da Inseminação Intrauterina?

Em média, o valor para o processo de  Inseminação Artificial, sem os medicamentos, fica entre R$ 2.500 a R$ 3.500.

Dr. Philip Wolff, de jaleco e braços cruzados, especialista em inseminação intrauterina.
*Consultoria: Philip Wolff, professor e doutor em Ciências Biomédicas e sócio-fundador da Genics Medicina Reprodutiva. Instagram: @phwolff / Linkedin: philip-wolff

Veja também: Inseminação e fertilização: qual é a diferença? e Inseminação Artificial caseira: os riscos para a saúde