Quando fazer a Inseminação Artificial ou Intrauterina?

Mulher negra vestida com malha de tricô, deitada com as pernas apoiadas no alto.

A técnica de Inseminação Artificial ou Intrauterina ajuda casais com fatores moderados e/ou leves de infertilidade conjugal. Geralmente é associado a uma oligospermia leve ou fatores ovulatórios corrigidos clinicamente. Outro motivo é quando o o muco cervical se torna “hostil” aos espermatozoides. Mas é preciso que o homem possua uma quantidade mínima de espermatozoides no sêmen, que pode ser avaliada no espermograma. A mulher precisa ter ao menos uma tuba uterina sem qualquer alteração ou problema, para que haja o encontro do espermatozoide com o óvulo.

Como é feito o procedimento?

Óvulo sendo fecundado por vários espermatozoides por meio da Inseminação Artificial.
Na Inseminação Artificial, o encontro do espermatozoide com o óvulo acontece naturalmente

A Inseminação Artificial pode ser feita a partir de uma leve estimulação ovariana ou em ciclos naturais (sem uso de remédios). Após a coleta do sêmen, a técnica consiste em preparar os espermatozoides separando os melhores para serem colocados gentilmente no interior do útero. O procedimento é feito com o auxílio de um cateter. A partir daí, é função do espermatozoide “nadar” até encontrar o óvulo para fecundá-lo. Entre 10 a 12 dias após o procedimento já pode ser realizado o teste de gravidez.

Como é a recuperação após a Inseminação Artificial?

Após a inseminação, a paciente deve ficar deitada, em repouso no consultório, por aproximadamente 30 minutos, para facilitar a chegada do sêmen no interior das tubas. Isso é importante para que aconteça a fertilização do óvulo.
Por ser um procedimento mais simples, a inseminação artificial pode ser realizada no consultório, sem anestesia. Ela não causa dor e dura poucos minutos, sendo que a mulher pode voltar às suas atividades cotidianas em seguida. As relações sexuais podem voltar ao ritmo habitual a partir do dia da inseminação. Porém, o procedimento não atende aos casos mais graves de infertilidade. Para esses casos, recomenda-se tratamentos como a Fertilização In Vitro (FIV).